Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Médico põe em xeque eficácia da Coronavac
21/10/2020 11:42 em Ciência & Saúde

Apesar de ser colocada como item obrigatório pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e ter 46 milhões de doses compradas hoje pelo Ministério da Saúde, a vacina contra a covid-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac Biotech ainda não tem a sua eficácia comprovada. É o que pontua o toxicologista e pediatra Anthony Wong.

Leia mais: Bolsonaro reafirma que não vai comprar a Coronavac

Em entrevista à rádio Jovem Pan na noite desta terça-feira, 20, Wong explicou que a Coronavac ainda precisa responder a determinadas questões — assim como outros imunizantes que estão sendo testados para o combate ao novo coronavírus. “Ainda não divulgaram o seu grau de segurança”, disse Wong ao participar do programa Os Pingos nos Is, na rádio Jovem Pan.

Observações

Especificamente sobre a Coronavac, como é chamada a vacina feita pelo Butantan, o toxicologista fez as seguintes observações:

  • Efeito adverso

“O grau de efeito adverso está em torno de 5,37%. Se comparar com a vacina de tétano ou mesmo a de poliomielite ou sarampo, a incidência de efeito adverso é de 0,05% a 0,5%.”

  • Número de doses

“A vacina chinesa é peculiar porque usa o vírus inativado, o chamado vírus morto […] e todas as vacinas com vírus mortos precisam de pelo menos três doses. E não duas doses [como prevê a Coronavac].”

  • Testagem válida

“Até o momento foram 9 mil voluntários, mas cerca de um terço ainda não recebeu a segunda dose".

 

Fonte: revistaoeste.com

COMENTÁRIOS